Páginas

domingo, 28 de outubro de 2012

Eu Posso...


 

 

 
 
 
                        Eu posso...
Eu posso ser muito FOFA e muito INSUPORTÁVEL se quiser.
Eu posso ser muito CARINHOSA e muito GROSSA se tu merecer.
Eu posso ser muito PACIENTE e me IRRITAR com facilidade.
Eu posso AMAR uma coisa e mesmo assim não QUERER.
Eu posso LUTAR por qualquer coisa e de uma hora pra outra achar que não merece o meu ESFORÇO.
Eu posso me APAIXONAR da primeira vez que vejo ALGUÉM como também posso não GOSTAR sem motivo.
Eu posso AMAR minha vida e de uma hora pra outra perguntar PORQUE eu vivo.
Eu posso AMAR BRANCO e escolher o PRETO.
Eu posso achar ERRADO e amanhã fazer a mesma COISA.
Eu posso ser COMPREENSIVA e ao mesmo tempo TEIMOSA.
Eu posso achar que sei TUDO sabendo que não sei NADA.
Eu posso saber que não POSSO e mesmo assim FAZER.
Eu posso jogar TUDO pro ALTO e começar TUDO de novo.
Eu já dei risada até a barriga doer
Já corri até perder o fôlego
Já chorei até dormir e acordei com o rosto desfigurado
Já fiz bola de chiclete e melequei a cara toda
Já me queimei brincando com vela
Já conversei com o espelho
Já briguei com a pessoa errada.
Já passei trote por telefone, já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés de fora
Já brinquei de boneca, de casinha, soltei pipa, joguei bola, e por ai vai...
Já levei uma bolada na cara
Já confundi sentimentos.
Peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido
Já raspei o fundo da panela de brigadeiro, já passei cola
Já brinquei de pique esconde depois dos 15, já me machuquei e ri depois
Já joguei alguém na piscina.
Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais difíceis de se esquecer.
Já fiz juras eternas
Já fiz apostas comigo mesma
Já tremi de nervoso, já senti medo do escuro
Já chorei sentada no chão do banheiro
Já saí pra caminhar sem rumo, sem nada na cabeça
Já menti para proteger.
Já corri pra não deixar alguém chorando
Já fiquei sozinha no meio de mil pessoas
Já vi pôr do sol cor de rosa e alaranjado
Já vi a lua nascer na praia
Já gritei de felicidade,
Já quase morri afogada, já quase morri atropelada
Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um "para sempre" pela metade.
Já fiz coisas por impulso, já tive vontade de sumir, já passei raiva
Já passei tardes conversando com pessoas que eu amo
Já falei coisas que não devia e deixei de falar as que devia, já ouvi coisas que não queria
Já ouvi a mesma música 5 vezes seguidas
Já tomei banho de chuva
Já desenhei na carteira da escola
Já abracei pra proteger
Já chorei ouvindo música e vendo fotos.
Já tive medo de perder alguém especial e acabei perdendo!
Já amei e fui amada, já fui amada e não amei, já amei e não fui amada Já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei o meu lugar
Já perdoei erros quase imperdoáveis Já fui decepcionada, já decepcionei alguém
Já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.
Já briguei com alguém, já fiz as pazes com esse alguém
Já aprendi que o silêncio dói mais do que as palavras
Já chorei de felicidade
Já tive vontade de morrer
Já tive medo e ainda tenho
Já não sou mais a mesma
Já ri lembrando da minha infância.
Já tive vontade que o tempo voltasse atrás, mais ele não voltou jamais.


(desconheço o autor)(imagem emprestada do google

 

Um comentário:

Marineide Dan disse...

Olá querida!
Venho lá da Anne Lieri só pra te conhecer, porém não estou conseguindo te seguir. O aplicativo dá erro. Vou tentar um outro dia ok?

Um abraço!
Marineide

Copyright © 2011 Fazenda de poemas poesias e contos.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger