Páginas

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Espinhos




Espinhos

 
Qual deles dói mais quando espeta?
Nem  é o da laranjeira
 Muito menos o da flor

 Espinho que mais incomoda
São os espinhos no caminho do amor

 Nem dói tanto do cacto espinhoso
Do limoeiro,nem comparação...
Espinho que espinha mesmo
É aquele que transpassa o coração.


(Dora Duarte)

sábado, 19 de novembro de 2016

PARTIDA



De repente fecho os olhos de mansinho...
Vou sumindo de tudo...Sinto-me leve como um pluma,
Nada ouço: nem barulhos de gente, nem de carros, nenhum ruído,
Nem discussão sobre política, futebol, ou religião .
Tudo é silêncio... sinto  algo hora morno em mim, hora frio.

Dou  passos macios,
 lentos, não sei aonde vou,
Nem a direção a seguir...
Uma experiência intrigante, porém gostosa,
Será assim quando partimos para bem longe?!
Flutuo ou voo? 
Ouço ao longe bem baixinho uma música relaxante,
E eu me entrego, numa entrega total
É hora de ir...
                   Dora Duarte 

domingo, 14 de agosto de 2016

Amor aos Pedaços



Amor aos pedaços
Despedaçado, fragmentado,
Explode por dentro
Deságua nas veias
Amo  líquido, liquidado, gota a gota,
 Na cor de carne, no suor transpirado’
Na alegria que pulsa na dor que repulsa
Escoa, ecoa, dentro dum Ser!
 Dora Duarte

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Quero voltar...





Quero voltar á minha terra
Quero voltar rever o meu povo
Sentir o cheiro do mata-pasto
Andar no meio do roçado de milho e feijão,
Deitar na sombra do cajueiro,
Abraçar e beijar a família e os amigos
Que lá deixei...
Ouvir eles, falar de mim
Pisar na areia fofa e branca
dos caminhos e estradas.
Sentir o cheiro do marmeleiro, gravatá...
Beber água doce das cacimbas, ou cisternas,
Tomar água de coco verde dos quintais vizinhos
Saborear a comida simples do tempo de infância
Comer tapioca com queijo de manteiga
inhame com manteiga de garrafa,
farofa de castanha de caju com o suco da polpa dele,.
Lambuzar-me nas frutas prediletas:
Manga espada, jaca, pinha, cajá...
Dormir na rede, vendo pela fresta da telha,
A lua brilhar no céu...
Quero voltar á minha terra querida...
Voltar, rever o meu povo,
Nem que seja por alguns dias...
Assim serei tão feliz quanto eu sou.

               (Dora Duarte)

terça-feira, 19 de julho de 2016

Lua nua



 Lua minha, lua tua...
Lua nua na praia
Lua nua na deserta rua
Encanto meu, encanto  teu
Lua  minha, tua lua,
Luar mar, amar lua,
Lua de quem se importa,
De quem a observa e ama.

Dora Duarte
Copyright © 2011 Fazenda de poemas poesias e contos.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger